quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

CIDADE PARAÍSO




Foi Simplesmente assim...
O que era mato virou barraco.
O que foi barraco virou alvenaria.
O que era cerca  virou prédio.
O que era Vazio Ficou PO-VO-A-DO.
Povoado Bahia, Povoado Minas, Povoado Alagoas, Recife, Pernambuco, Povoado Ceará...
Ficou Tudo!
Tudo, Tudo Misturado! Nordeste, Bolívia... Brasil!
A miscigenação, vista nas cores, língua, sotaque, raça!
Desse povo forte, estando alegre ou triste.
Do meu povo forte, mesmo cansado, Resistente!Sorridente!
Transformando a lagrima em combustível.
CHEGAMOS!
VEJA BEM ,CHEGAMOS A CIDADE PARAISO!
Adão e Eva aqui não existem!
 Existe, Maria, José, Severina, João,Ana Pedro...E seus filhos.
Concebidos não pela fruta pecaminosa  e sim pelo instinto natural.
VEJAM... CHEGAMOS A CIDADE PARAISO
Onde luzes, se apagam tarde.
O Som predomina a noite.
De manhã, muitos saem.
De noite, muito voltam.
Voltam de ombros baixos, olheiras fortes e sorriso enorme!
E assim , seguem se os dias.A rotina  e suas quebras inusitadas.
Aqui a tristeza, á luta para não predominar.
A criatividade é solta para não voltar... Vem tia! Vem sobrinha, Pai, mãe, irmãos, Famílias, Vizinhos... Vem!
Aqui agente tem estudo, trabalho, acolhimento.
Mas também tem interesse, desinteresse o TANTO FAZ!
A GENTE!
BEM VINDOS A CIDADE PARAISO!
Pra Chegar, bastam alguns passos e pronto!
Se perguntar, vão saber lhe explicar!
- Ela está lá, aqui, ali...
Igual a todos os outros Paraísos.
Com Povo semelhante a tantos outros Paraísos.
Com esperança igual a tantos outros Paraísos.

SEJA BEM VINDO Á CIDADE PARAISO!

Foz no Festical

Foz... encontro de águas,desague de águas.
Encontro de culturas, de raízes, misturas, construção de redes,construção de novos universos, de novas matrizes artísticas.
Foz, encontro de Artes, de grupos, coletivos, desague de artes, encontro de Almas.


 O Coletivo Foz de artes prossegue seu trabalho de pesquisa e encontro de almas, dispostos a formarem uma rede artística, uma troca cultural.


Em Outubro começamos a dar passos para nossa primeira apresentação com a nossa Lona. Graças a formação de nossa rede com os artistas de Campo Limpo, fomos convidados juntamente com a Lona para participar do 7 Festical ( Festival Nacional de Teatro de Campo Limpo) realizado pela Trupe Artemanha.

O Festical foi uma das maiores formas de integração com grupos não só de São Paulo, mas também do Brasil. Passaram no Festical  grupos de teatro, de Norte a Sul do nosso País, trazendo esse escambo cultural e artístico para o teatro de rua.

Não estávamos diretamente inclusos na programação do Festical, mas graças a essa troca artística ambos os lados ficaram interessados em forma essa rede, utilizando a Lona e nosso trabalho de pesquisa como mais um elemento do escambo artístico.

Nos apresentamos no dia 20 de outubro, trazendo nossa esquete teatral ''Cidade Paraíso''. Nossa Lona serviu tanto para nós como para outros grupos se abrigarem da chuva e apresentarem seu trabalho artístico, nesse dia fizemos um Foz, um encontro de águas culturais.

Foz, Itinerância Movimento Cultural CRUCK

                      Movimento Cultural CRUCK     e o                                                                                                                             Coletivo FOZ de Arte 



1- CRUCK - dia:   24/06/2012     C.E.U - Paraisópolis.




2 - CRUCK - dia: 26/08/2012   pelas ruas de Paraisópolis.









3 - CRUCK - dia:   04/10/2012    C.E.U - Guarapiranga. Itinerância pelas ruas.









4 - CRUCK - dia : 10/11/2012   CRUCK, V Festival Vocacional.  Pelas Ruas do CENTRO de SP.












quinta-feira, 15 de novembro de 2012

COLETIVO FOZ NO MOVIMENTO CRUCK

Depois de ter saído pelas ruas de Paraisópolis. Ter conversado com as pessoas que no nosso dia a dia , na correria , aos olhos de muitos são apenas moradores desse grande lugar!

Os integrantes do coletivo , criaram personagens com base na pesquisa desenvolvida pelo   Lume,a  Mimese Corpórea .Onde  foi coletado material , físico , Vocal  orgânico através de observações , codificações  e teatralização de ações físicas e vocais de pessoas , fotos , quadros do universo cotidiano , pessoal, de moradores de Paraisópolis.

Todo o material que ia sendo coletado pelos integrantes , juntamente com historias , inquietações dos moradores . Foi dando forma a esquete teatral :CIDADE PARAÍSO

Nesse levantamento da esquete teatral.Ficou evidente que o processo não poderia ser como o tradicional , seguido por diversos Grupos ,como  ensaiar  no seu espaço e  só apresentar o espetáculo depois de Pronto.

Nosso processo com o passar do tempo foi se mostrando de todos !

Estamos falando de personagens que moram , passam , passaram por essa Comunidade. 
Estamos falando da gente! Da mãe , da tia , vizinha.
Um pouco  que cada um , sentiu...passou... presenciou...escolheu ...sofreu ...Venceu!
Estamos Falando de PARAISÓPOLIS.
Falando através de uma observação poética !

Vimos no movimento  Cruk  uma ótima ocasião para mostrar o nosso processo de criação  para os moradores e receber o retorno do que estávamos criando através deles. 
Saímos pelas ruas de Paraisópolis , junto com vários outros  grupos e artistas , tanto de Paraisópolis como de outros locais de São Paulo.Que também lutam pela mobilização dos artistas e a fomentação entre os grupos e formação de publico.


sexta-feira, 30 de março de 2012

FOZ e o Programa VAI

Hoje dia 30/03/2012  Tivemos a confirmação do que tanto esperávamos FOMOS CONTEMPLADOS PELO Programa VAI

Agora é trabalhar e espalhar mais ainda nossas energias
Agradecemos a todas as energias que regem esse universo e tantos outros e a dois corpos terrestres que nos mostraram essa energia transformadora que é arte Miriam de Castilho e Roberto Cezzaretti nossos guias teatrais!

Muita LUZ muita positividade nessa nova etapa que o Coletivo FOZ de Arte acaba de entrar!

PINTA O ESCARAVELHO DE VERMELHO!

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Sarau Paraisópolis





Coletivo FOZ de Arte no Sarau Paraisópolis





Neste mês de Outubro o tema do Sarau Paraisópolis, contemplado com o PROAC  e realizado pelo PECP, foi LOUCURA
 Em quem não poderia faltar nesta festa, lógico todos os loucos por arte



Nós do Coletivo fizemos duas intervenções:
Cala a Boca Barbara
Bonecas de Pano

Em uma noite gostosa, com amigos podemos mostrar o nosso trabalho, o Sarau de Paraisópolis, esta sendo um grande point de encontro de pessoas interessadas em arte, grandes amigos e pessoas tão especias que acabamos encontrando neste ano.
Parabéns a Miriam de Castilho, nossa senhora que cuida com que tudo saia nos trinks, e ao Velhinho Roberto Cezaretti esse que nos dá a luz e o som rsrs
E todos aqueles que colaboram com a realização deste Sarau!


domingo, 2 de outubro de 2011

NASCEM OS ESCARAVELHOS


 


Bom muito bom
O sol brilhava lá fora e o dia tinha cheiro de conquista, uma forte sensação de paz e harmonia entre os seres.
A vontade de estar com os pés no chão, cabeça na lua e o sorriso no sol.

Disse a Dai: "GENTE O SOL TÁ SORRINDO"

E que dia, que ar, que calor ...
Não poderíamos ter escolhido dia melhor, tudo estava ao nosso favor, até o tempo que voou, que não conseguimos começar no horário marcado...
Mas tudo se encaixou perfeitamente.
Dia  01 de Outubro SIM foi o nosso dia.

De corpo em pé, todos por volta de 07h e 08h am, começamos a nossa conquista.
O encontro, depois os afazeres de último preparo, depois o abastecimento com um pãozinho quente ( pra quem conseguiu comer), depois o grito, depois a rua.
 

 A RUA
Aquela que mata o sujeito de frio na barriga, aaaaa não sabemos o que nos acontecerá...

Mas eita lugar bom viu... Cada gesto, cada voz, cada olhar.

Saímos assim ao leo, com uma ideia na cabeça e um trajeto a seguir que na hora sempre muda.
Na rua, eita as fotos, fomos a casa da Amanda, ao 12h pm Amanda estava dormindo... Acordamos e a carregamos para a rua, nossa fotógrafa. Agradecimentos dos Escaravelhos Vermelhos.

Fomos muito felizes, podemos nos comunicar, conversar, sentir o público, isso, isso é o que queremos,
trocar as energias sentir os astros, a energia do universo passando entre nossos corpos e passando para o público, e a energia pessoal de cada ser, que é passada para nós com a mesma intensidade ou com a mesma curiosidade.



O BANHO
Sim, sim, tomamos o banho no "CEU", com tinta vermelha (nosso preparado de polvilho doce e corante vermelho tipo de maçã do amor).

A escolha do local:

Dessemos ao "CEU", o sol já não sorria dava gargalhadas, que reluzia ao chão de certa forma que fazia queimar os pés,
-Só tem sol, nenhuma sombra. ( era duas horas da tarde...)
-Vamos assim mesmo, assim que ele quer, então vamos.

Então lá estávamos nós, nos preparando para a finalização do ritual, quando por excelência aparecem da piscina do "CEU", uma rapaziada( muitos)... sobem em uma arvore, por incrível que possa parecer, uns até se deitam... e os olhos... depois:
 -O que será que eles estão fazendo?...
E eis que surgi o baziado...

E o sol continuava a dar suas enebriantes gargalhadas, e os pés queimando como nunca decidimos procurar outra toca, outro ar.

Eis... que achamos uma arvore que nos deu abrigo, sombra e um buraco lugar perfeito para um ritual, tinha um buraco feito especialmente para nós?... debaixo de uma modéstia arvore essa, um esplendor da natureza...
 depois de uma breve conversa, sobre nossos interesses no Coletivo o ato foi concebido, o banho foi tomado os ESCARAVELHOS nasceram, um certo ar de purificação nos sobrevoou, um certo sentir de conquista tomou nosso coração, e a alegria de estar ali foi o máximo o máximo de tudo.

A andança, da volta foi surpreendente, os olhares de espanto, curiosidade, medo, uns cochichos:
- O que será que aconteceu com eles?... pairou sobre a cabeça de quem nos olhava.

A andança vai chegando ao fim, e agora vem o banho sem tinta.
- E agora o que fazer?
- Vamos, tomar banho de mangueira
-VAAAAAAAAMOS

E o espanto o corante vai sair?...
Saiu parcialmente em algumas partes do corpo ainda estamos meio avermelhados, mas nada que alguns banhos, bem tomados, não resolva.

E o alívio de dever cumprido, a sensação de paz, essa nem se fala estava em tudo.

Depois de uma pausa pro lanche, pastel com suco natural, fomos para o einstein, preparação para o Sarau de outubro, que o tema é LOUCURA.

Para fechar o dia com chave de ouro, decidimos ir ao teatro, a convite de um de nossos amigos do SENAC   ,fomos assistir: ALUGA-SE UM TERRENO NA LUA, no Tendal da Lapa.

Na volta uma pausa para o lanche, pastel e vinho, e a volta para casa no trem seguimos cada um para sua casa

Que os escaravelhos tornem-se cada dia mais felizes, e que possamos continuar na coletividade nessa louca aventura que chamamos de vida.


PINTA O ESCARAVELHO DE VERMELHO